Paulinho Guitarra - Romantic Lovers (2011)


Resenha do CD Paulinho Guitarra (2011) Romantic Lovers.

Paulinho Guitarra nos brindou em 2011 com um disco, de certa forma, bem diferente de sua habitual discografia, evocando imagens, filmes, pinturas, lugares, sensações e tudo o mais que a sinestesia puder nos prover.
Suas influências de The Ventures, Steely Dan, Wes Montgomery, Quincy Jones, John Coltrane, Henri Mancini e outros mestres vieram à tona e foram a tônica das melodias, ritmos e harmonias que Paulinho trouxe à luz em 2011. Gravou quase todos os instrumentos (guitarras, vibrafones, baixo, percussão, slide, teclados), contando com a ajuda preciosa de Augusto Feres (baterias, baixo fuzz, guitarras fuzz e efeitos) e com a participação de Otávio Rocha (Blues Etílicos) na guitarra slide da última faixa.

Propus-me fazer uma descrição faixa a faixa, conforme a ideia que cada música me trazia.
Lembrando que o CD inteiro está disponível para audição no site da gravadora Very Cool Music.

1) Bed Company - O título, combinado com o nome do disco (Romantic Lovers) já revela a inspiração para as composições: o amor e a intimidade. O duelo da melodia entre a guitarra e o vibrafone mescla um clima zappiano com a filosofia hendrixiana, traduzida nas partes de wah-wah da música. A bateria transcorre calmamente (nesta e nas demais músicas), abrindo espaços para as várias camadas e nuances guitarrísticas de Paulinho.

2) Romantic Lovers - O curto tema título com uma super virada de bateria no meio traz duas influências bem distintas de Paulinho: The Ventures (na guitarra média da melodia) e Steely Dan na harmonia.

3) Hoje a Minha Gatinha Disse Miau! - Com um clima Peter Sellers, um walking bass e uma bateria vintage, esta é uma perfeita trilha sonora de filmes cômicos de espionagens.

4) La Reina Del Mérito - James Bond descendo do avião no Havaí, com muitas dançarinas dando-lhe as boas vindas. Corta para uma cena paradisíaca deitado numa rede, com discos do The Ventures na vitrola. 'La Reina' é a esposa de Paulinho, Jane.

5) Alô, Doçura - A base realmente me trouxe lembranças de The Smiths, embora Paulinho Guitarra cite Roilling Stones e Crosby, Stills & Nash. já a guitarra solo é The Ventures total. Um interlúdio jazz fusion dá um susto no climinha happy hour, e Paulinho aproveita para sacar frases jazzísticas faiscantes.

6) Os Sintônicos - Guitarras em sintonia, bateria constante e sutil, harmonia intricada. Lembra a banda 'The Hellecasters'. Um clima mais tenso num disco alegre.

7) Baby Doll - A conga marca o rtimo para que o vibrafone novamente divida a melodia com a guitarra. Clima Honolulu também neste curto tema, que merecia muitas improvisações! Obs:. Paulinho Guitarra deixa claro que este é um CD focado nas idéias, então os improvisos terão espaço nas versões ao vivo!

8) Ela é Alucicrazy - Como o próprio nome entrega, um dos temas mais esquisitos do disco. Muitas influências permeiam a composição, principalmente a fase mais ácida de Miles Davis. Mas, em meio ao pequeno caos, percebe-se uma linha que segura toda a loucura, claro.

9) Tum de Tum de Tum... - Um ritmo alegre e preciso como uma pintura de Mondrian, com feedbacks de guitarras que denunciam que Jimi Hendrix ainda vive em algum canto da cabeça de Paulinho! A faixa começa como um parque de diversões dos anos 60 e desvirtua em meio a muitos climas, dando curto-circuito nos brinquedos até acabar a energia do parque.

10) One for Chicchi - Marca a volta da influência dos The Ventures em Paulinho Guitarra. Chicchi é esta garotinha que Paulinho conheceu no Youtube, tocando guitarra com muita personalidade, lembrando a época em que ele tocava no grupo 'Os Adolescentes' no Rio. Destaques para a guitarra barítono que acompanha a melodia, e o improviso no final.

11) Medley - Boa Noite Cinderal - Acorda Amorzinho! - Dois momentos: um, de relaxamento vertiginoso, causada por um calmante tomado involuntariamente, que nos faz bambear ao som da suave melodia e vibrar com os lindos bends da guitarra; e outro, a sensação estranha, a dorzinha de cabeça, acordando zonzo no outro dia num local estranho (onde estou?), seguido de um certo pânico, levantando e procurando a saída.

12) Blues for Y'all - Um blues japonês?? Paulinho mais uma vez evoca vários sentimentos distintos e finda o disco de forma esplêndida, com a participação mezzo agressiva de Otávio Rocha na guitarra slide. Timbres à la Cream, tema melódico amplo, a trilha final de um thriller de perseguição. E, subindo os créditos, um radinho de pilha esquecido ligado numa rádio blueseira encerra a faixa e o CD.

Paulinho Guitarra - Romantic Lovers (Very Cool Music) - 2011
Cotação: * * * * *




Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas