Dicas inteligentes de Pentatônica com Scott Henderson


Em recente vídeo postado pela escola MI (Musicians Institute), o grande guitarrista de fusion, blues e rock Scott Henderson comenta e sugere aplicações inteligentes e diferentes para o velho e manjado padrão de escala pentatônica na guitarra. Primeiro, vejamos o vídeo:


Usando um shape de pentatônica em Bm (Si menor, começando na sétima casa da guitarra), Scott explica que, sobre um vamp de Bm, pode-se usar como de costume a escala penta de Bm.
Mas é interessante mover o desenho da escala pentatônica um tom acima (C#m) e improvisar sobre o mesmo acorde de Bm.
Isso é possível pois, segundo Henderson, as pentas de Bm e C#m possuem notas relativas ao tom de A (lá maior), e ainda sugere usar também a penta de F#m (começando na segunda casa), que também faz parte da escala de A. Obs. Neste caso do vídeo, podemos dizer se tratar de um B dórico.

É importante reparar como Scott impinge sentimento e groove nas notas que executa, mesmo sendo uma simples pentatônica!
A partir dos 3 minutos, ele improvisa sobre as escalas citadas, só que adicionando bends, pausas e 'mojo' para que surja música de seus dedos! As alavancadas à la Jeff Beck também ajudam na intenção!

Aos 4 minutos do vídeo, Scott emula outro grande mestre do fusion, John Scofield, usando apenas 4 notas da MESMA penta de Bm, só que com intervalos diferentes, e um ritmo todo próprio. Aos 5:00, ele modula para C#m e depois para F#m.

Em seguida, ele mostra como pular cordas para conseguir sons distintos da mesma escala.

Aos 6:30, ele adiciona distorção e bends ás notas, numa clara intenção rock, só que usando o tempo composto de 7/4 (que seriam 2 compassos de 4/4 incompletos), comum ao estilo fusion.

Aos 9 minutos, ele trata da diferença entre palhetar simplesmente e palhetar com alavancadas (plucking), outra técnica consagrada por Jeff Beck, mostrando como reforçar/frisar notas e harmônicos.
E termina mostrando detalhes da ponte e braço de sua guitarra signature, construída por John Suhr.


PS: Sobre a signature guitar de Scott Henderson: acho muito interessante ela ser uma strato padrão com singles normais, só que com tocabilidade melhorada pelos trastes jumbos, além de ter o sistema de cancelamento de ruído dos singles, chamado SSC. Este sistema tem críticas muito positivas e é possivelmente a melhor alternativa para acabar com o ruído de 60hz deste tipo de captador.

Comentários

Postagens mais visitadas